Minha melhor amiga é minha namorada, seja em tempos de tédio absoluto ou de ânimos exaltados.

Relacionamentos

Sem tirar nem pôr: A minha melhor amiga é a minha namorada

Minha melhor amiga é minha namorada, seja em tempos de tédio absoluto ou de ânimos exaltados.

Tapas, pontapés, socos e cotoveladas. Seria um cenário de violência se não fosse de carinho, companheirismo, confidência e, principalmente, amizade. Muitas vezes, a intimidade que acontece no amor ultrapassa as normas sociais de conduta adequadas, e faz confundir um beijo com um beliscão, um afago com um empurrão. A paixão, então, passa a ser algo lúdico, uma brincadeira que mescla atitudes em busca das mais variadas sensações, uma verdadeira e intensa amizade.

Nossa amizade, aliás, é uma contradição em termos, admito. Somos tão diferentes, há quem suspeite que não fomos feitos um para o outro, mas também somos tão completos. Amamos coisas distintas, temos manias diversas, às vezes somos opositores em debates, mas o oposto nos une como uma bateria comporta seus pólos, nossas manias nos atraem e, mais do que tudo, nossas distinções não afectam o fato de que nos amamos.

Minha melhor amiga é minha namorada, seja em tempos de tédio absoluto ou de ânimos exaltados. Seja em horas tristes e penosas ou em momentos completamente descontraídos, numa festa com amigos ou em casa, imersos em pipoca e seriados. Com ou sem o que fazer, somos inteiros no que devemos ser: no contacto, no beijo e no abraço, no olhar cruzado e na mais querida companhia. Não há auto-estima que falte, não há sorriso que sobre. Nos equilibramos juntos na corda da vida, e de mãos dadas efectuamos as quatro operações matemáticas, como se com a gente fosse tudo ou nada.

Somos inteiros no toque, no puxão que cola os corpos, na ansiedade em matar a saudade. Somos abertos a reconhecer os erros e buscar melhoras. Somos o que somos, limitados pelas possibilidades e delimitados pelas saudades que nos rondam, assim, quando estamos distantes um do outro.

O fato é que felicidade não é possível sem intimidade. E a nossa, bem, ela é a de quem se importa, se cuida, brinca, sorri e sente falta. Somos felizes não porque simplesmente nos aceitamos em nossas vidas, mas porque resolvemos fazer da nossa jornada uma estrada para rumar de mãos dadas. E quem vai com amizade, encontra a felicidade.

Faz Play Neste Vídeo


Comentários

Somos a plataforma preferida da Geração-Y para os tópicos mais quentes e mais na moda dos dias de hoje, desde política a relacionamentos e tudo o que se encontra pelo meio.

CoffeeBreak © 2016 - Todo o conteúdo pertence aos seus utilizadores.

To Top

QUERES MAIS HISTÓRIAS COMO ESTA?

O botão mágico abaixo entrega-te as melhores histórias no Facebook.