,

Para ler todas as manhãs

Já fiz isso
Já fiz isso

__________, por favor, não deixes que a tua esperança no amor sincero seja deitada abaixo por aqueles que vivem a proclamar, aos berros, que o amor não passa de uma ilusão.

Não permitas, de maneira alguma, que as mentiras recém descobertas apaguem a tua fé na existência de gente sincera e disposta a lutar, com unhas e dentes, para que a verdade (as palavras sem máscaras e interesses egoístas) caminhe livre por aí.

Não autorizes, nem sob a mira de um revólver, que a tua capacidade de acreditar no carinho gratuito seja fraturada pelos pontapés dos que têm o peito oco e assassinada pela leitura das barbaridades que, infelizmente, são recorrentes no jornal de cada dia.

E mesmo que todos ao teu redor se tornem seres desonestos e capazes de pontapear, sem culpa, a cabeça alheia. ___________, não te sintas menor por seres o único (ou um dos poucos) a começar pelo final da fila e a não enriquecer, corruptamente, do dia para a noite.

Não te sintas cobarde quando optares por engolir sapos, aprisionar blasfémias e, sabiamente, correr para bem longe de uma confusão.

__________, na corrida de cada manhã, juntamente com o suor que expele dos teus poros, para o bem da tua saúde, expulsa também os mais perigosos venenos que alguém pode conter: o desejo de vingança e a inveja dos que têm mais.

Para, de uma vez por todas, de pagar na mesma moeda pois agindo assim, muitas vezes, ao invés de uma atitude nobre, irás acabar a copiar uma atitude maldosa.

Se o teu amigo não te procurar, em vez de fazeres o mesmo e contribuires para o esfriamento de uma amizade, sê o responsável pelo reencontro: liga, convida e vai até ele. E depois se fores tu a fazer o esforço maior? Lembra-te sempre do valor inestimável das amizades.

Quando o teu namorado for bruto contigo, diferente dos gritos que deste em ocasiões anteriores e de atitudes que só levaram a situações menos boas, experimenta cuspir paciência, desferir gentileza e bombardeia sorrisos que evaporam o ódio.

Não te deixes enganar pelos comprimidos vendidos como se fossem verdadeiras viagens a paraísos. Quando, por ventura, mesmo sem um tostão no bolso tu precisas viajar: lê uma poesia do Leminski ou um conto do Cortázar.

Não tenhas tanto medo da morte mas, por favor, dá mais valor à vida e não confies tanto na suposta existência do dia de amanhã.

Uma vez por ano, se puderes, por uma semana esconde o relógio, a agenda e o telefone. E diferente do que fazes na tua rotina normal, dá voz de comando aos teus instintos: esquece o horário de almoço e come apenas quando estiveres com fome; não te obrigues a dormir depois da novela e fecha os olhos somente quando estiveres com sono; permite-te ao luxo de fazeres apenas aquilo que sentes vontade e de te negares a realizar qualquer tarefa que normalmente fazes por dinheiro, carreira ou currículo.

__________, todas as manhãs, depois do despertador e antes do pão na mesa, relê este texto em voz alta e se não for pedir muito, uma vez ou outra, finge que não ouviste a tua nutricionista e mantém o miolo todo no pão.

Obs: Preenche as lacunas em cima com o teu nome e não tenhas medo de falar sozinho.

(Source: Ricardo Coiro)

Criado por Miguel Camacho

Profile photo of Miguel Camacho

Eu perdi muito peso e ganhei um pouco de conhecimento sobre a obesidade e cuidados de saúde. Eu gosto de ler e escrever sobre essas coisas. Embora já não esteja mais em Portugal, os meus sonhos são tão ambiciosos como sempre (e muitas vezes incluem saltar para a água com o meu telemóvel).

Um Comentário

Junta-te à Conversa

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *