,

Lê isto se estás convencida que és a mulher que nenhum homem vai querer namorar

Já fiz isso
Já fiz isso

A determinada altura na minha vida, apenas desisti.

Não importa quantas vezes me disseram que sou bonita e não importa quantos “elogios” estranhos recebi de qualquer homem, estava convencida que nenhum homem queria namorar comigo. Ou pelo menos, namorar comigo como uma pessoa.

Porque tentei.

Fiz tudo o que podia para ter alguém que me levasse a um encontro verdadeiro. O único encontro bom ao qual fui foi a um encontro entre desconhecidos e não deu em nada. Se eu ia a um encontro, não seria um encontro, mas sim a uma tentativa de Netflix and Chill à qual eu tinha que dar uma desculpa para fugir ande que isso sequer pudesse começar-

Ou eu estava interessada em um homem, mas ele literalmente idolatrava outra mulher no meu grupo e nunca me dava atenção.

Ou um homem colocava-me naquela área cinzenta entre não ser uma amiga e também não ser uma namorada. Ele apenas me “experimentava” para ver se dava “algo”!

No que toca a encontros, fico sempre com, “mas que raio é suposto isto significar?”

Cheguei à conclusão que eu não era o tipo de rapariga que os homens namoravam. Posso ser bonita, mas não valho a pena o esforço. Acho que sou o tipo de rapariga pela qual cobiças ou fantasias, não a rapariga pela qual te apaixonas.

Eu digo “acho” porque acabei de chegar a essa revelação, recuso-me a satisfazer a cobiça de alguém.

A determinada altura decidi quando ultrapassei a minha depressão, viver para mim mesma e nunca me contentar com menos.

Percebo que o ditado “não podes amar alguém a menos que te ames a ti própria” não é para toda a gente, mas foi uma táctica de sobrevivência para alguém como eu que sentia as partes mais escuras da solidão.

Não tive escolha a não ser amar a mim mesma porque tive que perceber que só porque as pessoas eram incapazes de me amar num senso romântico, não significava que a minha vida acabou ou era sem sentido.

É normal querer ser amada, mas por vezes encontrarás pessoas que simplesmente não o conseguem fazer e nem sempre por causa de tu, mas porque elas não estão prontas para ti.

E isso é normal porque trás a oportunidade de fazer as coisas que sempre quiseste fazer além de namorar ou apaixonares-te.

Podes sentir-te como a rapariga que não namorará, mas sê paciente porque com o tempo, quando menos esperas, conhecerás alguém pelo caminho.

Mas, entretanto, conhece-te a ti mesma porque importas e mereces ser amada.

Criado por Susana Moreira

Profile photo of Susana Moreira

Eu escrevo. Eu partilho. Eu amo. Discutir é um modo de vida para mim, mas ouvir também. Tento desesperadamente ter aulas de yoga (não estou a conseguir). A minha prioridade nº1 é passar o microfone para quem nunca teve a oportunidade de falar e de ser ouvido. Assim o mundo será um lugar melhor.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *