Connect with us

Fora Da Rede

Jovem é picada por carraça e passa a viver como um “vegetal”

A jovem vive com a mãe, Della e com o cão, Prince, a sua “força de viver”, garante.

Published

on

Samantha Calby, uma jovem de 29 anos, partilhou a sua história de vida através das redes sociais. A britânica, residente em Merseyside, foi picada por um inseto quando tinha 15 anos e estava a passar férias em Itália. Desde então que vive a maior parte da sua vida imobilizada na cama, em modo “vegetal”.

Nessa altura, Samantha foi diagnosticada com doença de Lyme, uma condição causada causada por uma bactéria transmitida geralmente pela picada de uma carraça infetada.

Desesperada, a jovem utilizou as redes sociais para tentar angariar cerca de 60 mil euros, o valor que necessita para realizar um tratamento que a poderia salvar e ajudá-la a ter uma melhor qualidade de vida.

“Eu sinto que morri naquele verão porque isto não é viver… sinto-me inexistente e sinto a tristeza da minha família ao ver no que eu me transformei”, desabafa num vídeo partilhado na Internet.

A jovem lamenta nunca poder ter tido uma juventude saudável. “Passei a minha vida dentro e fora de hospitais. Passo pelo menos 22 horas por dia deitada na cama a olhar para as paredes. Parece uma pena de prisão. Só quero uma oportunidade de ter saúde e de fazer parte do mundo novamente”, afirma.

Samantha enfrenta sintomas como tremores, neblina cerebral, fadiga extrema, problemas de equilíbrio, perda de memória, dores musculares e dificuldades respiratórias. Para além de tudo isto, a jovem ainda é extremamente sensível ao ruído e à luz.

O seu sonho era ser designer de moda e até já recebeu uma carta encorajadora da marca de alta costura Versace, no entanto, Samantha tem consciência de que o seu estado de saúde não lhe permite trabalhar.

A jovem vive com a mãe, Della e com o cão, Prince, a sua “força de viver”, garante.

Apesar de sempre ter sentido vergonha da sua condição, Samantha achou que estava na altura de contar a sua história e lutar para por aquilo que deseja: ter uma vida normal, poder trabalhar e ter amigos, como qualquer outra pessoa.

Para tal, criou uma página de angariação de fundos. “Eu sei que tenho que ser eu a lutar pelas coisas antes que seja tarde de mais”, concluiu.

Comments

Publicidade

Publicidade

Mais Populares