Connect with us

Desenvolvimento Pessoal

Estou numa fase da minha vida em que não preciso de impressionar ninguém

Ser natural e trabalhar nos nossos verdadeiros desejos é a chave para ser mais feliz.

Published

on

Eu estou num ponto da minha vida onde não preciso de impressionar ninguém. Eu sou o que sou, não ligo para o que os outros pensam de mim. Eu não preciso de disfarces, não preciso enganar ou fingir. Porque posso ser quem eu realmente sou.

Não tenho necessidade de rir e fazer as pessoas acreditarem que nunca choro. Eu não preciso ser sempre forte, nem sempre agradável. Eu não preciso ser igual a ninguém, e, sobretudo, aceito-me como sou. Com as minhas virtudes, mas também com os meus defeitos. Porque não posso ser perfeito, mas sou sempre eu. Aceito e amo quem eu sou e o que posso ser.

Nós não existimos para impressionar o mundo, mas para sermos felizes e realizados. Agora, há momentos nas nossas vidas nos quais temos de priorizar, pensar que vamos surpreender este ou aquele e que nos vão invejar ou admirar.

Há momentos em que queremos chamar a atenção e sermos o rei da festa. No entanto, passadas certas fases, o que realmente se torna importante para nós é viver as nossas vidas sem nos destacar dos demais, só para nós mesmos e para o nosso ambiente.

Alguém uma vez disse que é bom ter dinheiro para comprar as coisas que queremos, mas é melhor ainda ter as coisas que o dinheiro não pode comprar.

O que a vida te vai ensinando…

Algumas pessoas passam a vida a fazer coisas que odeiam, para conseguir o dinheiro que não precisam, para comprar coisas que não querem, para impressionar pessoas das quais não gostam.

Dizem que a vida vai ensinando “quem sim, quem não e quem nunca”.

Já nos decepcionamos muitas vezes, colocamos a nossa confiança em centenas de ocasiões e, bem, a verdade é que nem sempre obtivemos o resultado que esperávamos.

Assim, quando tu páras de esperar algo dos outros, começas a perceber que deves parar de te preocupares com o que os outros esperam de ti.

Este é o momento em que tu assumes o controlo dos teus desejos, orientas a tua vida, tomas iniciativas, não elogias os demais em excesso e partilhas as tuas opiniões livremente. Digamos que não é apenas o começo da tua liberdade emocional, mas também da tua identidade.


Porque é que nós não precisamos impressionar ninguém, a não ser a nós mesmos?

“As pessoas mais infelizes deste mundo são aquelas que se importam muito com o que os outros pensam.”

Nós não precisamos agradar ninguém, a não ser a nós mesmos. E isso segue uma regra simples que todos podem entender: se tentarmos impressionar a todo custo, vestimos uma capa que não é nossa. E se nós a vestimos, a nossa essência morre.

Cada um é único e excepcional. Nada e ninguém merece que escondamos o nosso verdadeiro eu, as nossas emoções e pensamentos. No entanto, também é verdade que tudo tem um limite, e tu não podes dizer ou fazer tudo o que vem à tua cabeça, tens que ter cuidado para não magoares os outros.

Quase todos chegamos àquele momento vital em que o que os outros pensam de nós não nos importa, porque percebemos que o que realmente importa somos nós.

No entanto, é paradoxal que uma pessoa confiante e despreocupada “com o que dizem” seja aquele que realmente deixa uma marca mais profunda nos outros. Digamos que alguém que serve a si mesmo torna-se uma pessoa mais pura, verdadeira e completa.

Em última análise, a única maneira de ser uma pessoa de aço inesquecível é não tentar impressionar a todo o custo. Ser natural e trabalhar nos nossos verdadeiros desejos é a chave para ser mais feliz.

Comments

Desenvolvimento Pessoal

11 razões porque estar solteiro/a é fantástico

Muitas pessoas que odeiam esse estado apenas não sabem como desfrutar da vida de solteiro delas.

Published

on

Estar numa relação tem definitivamente as suas vantagens, mas também tem vantagens estar solteiro/a. Muitas pessoas que odeiam esse estado apenas não sabem como desfrutar da vida de solteiro delas. Mas estar solteiro é realmente uma bênção! E aqui está o porquê:

– Não tens de tomar decisões baseadas na opinião de alguém ou nos horários dessa pessoa.

– Não tens de te preocupar com alguém sem ser contigo mesmo. É bom ser egoísta por vezes.

– Tens mais tempo livre e mais dinheiro para gastar contigo.

– Podes focar-te nos teus objectivos de carreira e passatempos que tens em segundo plano e fazer deles a tua principal prioridade.

– Podes mudar-te para outro sítio e não te preocupares em perder o teu parceiro ou ter que lidar com uma relação à distância.

– Podes viajar por quanto tempo queres. Não tens ninguém a quem dar satisfações (excepto talvez à mãe).

– Não tens de fazer a depilação religiosamente como fazes quando estás numa relação.

– Não tens compromisso com ninguém, portanto podes namoriscar e curtir com quem quiseres. Tens um mar inteiro de peixes por onde escolher.

– Podes passar mais tempo com os teus amigos. Afinal, essas são as amizades que ficam para a vida que vão ficar mesmo com todos os namorados futuros que virão.

– Por estares solteiro/a, podes encontrar-te e criar-te a ti mesmo fora de uma relação. Estabeleces uma identidade e formas opiniões que são autênticas.

– Aprendes a amar-te a ti mesmo. Quanto mais feliz te tornas contigo mesmo e mais completa se torna a tua vida, mais atrais a atenção de pessoas melhores. Vais ter relações melhores, duradouras e mais significativas à tua espera.

Continue Reading

Desenvolvimento Pessoal

Pessoas boas costumam sofrer muitas decepções na vida, mas estão sempre felizes

Pessoas bondosas costumam acreditar no melhor de cada um, pintando a vida com as cores leves da humildade e do acolhimento, desejando a felicidade alheia, pois querem que todos sejam tão felizes quanto elas próprias se sentem.

Published

on

A realidade do mundo no qual vivemos é que a bondade é a porta de entrada para incontáveis decepções.

Porque no mundo actual a esperteza e falta de escrúpulos é a ferramentA usada para atingir o sucesso, e muitos fazem uso dessa esperteza com má fé, usando-a contra aqueles que mais confiam neles, contra aqueles que ingenuamente julgam o coração de todo o mundo de acordo com o próprio.

E, por pessoa boa, refiro-me a uma pessoa com olhos limpos e generosos, com mãos que se estendem, com ouvidos atentos e coração leve. Trata-se daquele tipo de pessoa que não se nega a ajudar, que compartilha conhecimento, que divide as riquezas da alma, sem medo do apego emocional. Desapegam-se de si mesmas, porque somente se sentem humanas quando são parte de um todo.

São aqueles amigos que nunca demonstram desinteresse por nós, os colegas de trabalho que não são capazes de guardar só para si algum tipo de conhecimento, os familiares que se lembram de nós mesmo do outro lado do mundo. Pessoas boas, gratas, sensíveis, com empatia suficiente para saírem dos seus mundos e abraçarem o mundo de qualquer pessoa que precise de algo.

Infelizmente, quem possui uma essência assim tão bondosa inevitavelmente será vítima do mau uso e do abuso das suas qualidade por parte daqueles que só pensam em se aproveitar, em maldizer, em puxar tapetes.

Isso faz com que as pessoas boas tenham que passar por muitas situações difíceis em que terão que confrontar o bem que possuem com o mal que rodeia a sua vida. Triste, mas inevitável, a doçura da amabilidade encontra muitas vezes a contrariedade ferrenha do ódio amargo dos infelizes.

Pessoas bondosas costumam acreditar no melhor de cada um, pintando a vida com as cores leves da humildade e do acolhimento, desejando a felicidade alheia, pois querem que todos sejam tão felizes quanto elas próprias se sentem. E, ao longo do percurso, irão se deparar com o pior do ser humano, com a mentira, com a inveja, com a mesquinhez, com o mau-humor e a maldade daqueles que jamais serão capazes de sorrir com gratidão.

Mas mesmo assim, as pessoas boas continuarão a sorrir, a caminhar tranquilamente, a acordar com o propósito de ser e de fazer gente feliz, porque é assim que sua alma se torna cada vez mais rica e agraciada com as bênçãos que só quem é alegre de verdade está pronto para receber. Todos os dias.

(Texto de Marcel Camargo)

Continue Reading

Desenvolvimento Pessoal

Para a mulher que teve de desistir dos seus sonhos, nunca é tarde para começar de novo

O mundo verdadeiro pode ser difícil para uma sonhadora.

Published

on

O mundo verdadeiro pode ser difícil para uma sonhadora.

Tenho a certeza que já experienciaste isto tu mesma de uma variedade de formas com o passar dos anos. Tiveste de fazer sacrifícios para pagar as contas. Tiveste a tua dose de contratempos, que descarrilaram todos os planos que fizeste.

Isto pode ter causado com que saísses do caminho que sempre sonhaste para a tua vida.

E, quando isto acontece, por vezes trocamos as nossas ambições por segurança. Trocamos os nossos sonhos por momentos de conforto relaxante depois de um longo dia.

As coisas que costumavam impulsionar-nos podem ser agora pensamentos nostálgicos que damos por nós mesmo a contemplar em momentos tranquilos de reflexão.

Porém, quero que percebas algo. Podes ter posto os teus sonhos em pausa, mas nunca é tarde para voltar a eles e prosseguir com eles de novo.

Sei que podes ter uma lista de razões de meio quilometro de que não é a altura certa para fazer isto, mas nunca vais sentir que é a altura certa. Vai ser sempre assustador porque te vai forçar a sair da tua zona de conforto.

Mas, deves a ti mesma ir atrás das coisas que te enchem com paixão e propósito.

Não importa o que te fez pôr os teus objetivos em pausa antes, quer seja medo ou circunstância ou incerteza, decide andar em frente com fé e coragem.

Procura dentro dos confins da tua alma e reacende essa chama que costumava ser tão brilhante. Visualiza como o mundo seria se estivesses a viver além do teu verdadeiro propósito.

Isto não vai ser fácil. Vai ser preciso um esforço a longo termo para ser desconfortável. Vai ser preciso a tua participação ativa para continuares a andar porque vais ter de fazer deste processo uma prioridade.

Vai assustá-lo e vai te fazer sentir sobrecarregada por vezes porque não existem atalhos ou soluções rápidas. Apenas puro impulso e determinação.

Vai precisar de olhar para os teus hábitos e verificar constantemente em ti mesma e perguntar: estou a fazer algo hoje que me vai fazer chegar mais perto do que eu quero ser? Estou orgulhosa do trabalho que estou a fazer? Vou olhar para hoje e desejar que eu tivesse tentado esforçar mais um pouco?

Porque o arrependimento que sentirás de nunca teres tentado magoar-te-á muito mais do que qualquer desconforto e sacrifício temporário que possas precisar fazer ao longo do caminho.

Sei que dar o salto é assustador e que existem muitas incertezas.

Mas, também sei que a sonhadora dentro de ti está pronta e à espera.

Foste feita para sonhar e para explorar.

Portanto, considera este o teu primeiro passo para uma vida nova e mais realizada. Porque sempre foste capaz de alcançar a grandeza.

Apenas precisas de acreditar nisso o suficiente (e acreditar em ti própria o suficiente) para pôr o plano em ação.

Continue Reading

Publicidade

Publicidade

Mais Populares