neuai

Estás a cometer um erro crucial.

Relacionamentos

A verdadeira razão por que nunca vivenciaste um amor incondicional

neuai

Estás a cometer um erro crucial.

Eu tenho procurado por ele desde os meus 14 anos. Não estava à procura de um conto de fadas; estava apenas a ambicionar algo que eu achava que não tinha em casa – amor incondicional.

Repara, o meu pai e eu tivemos uma briga fundamental – ele disse-me que se eu casar com alguém de uma raça ou religião diferente da minha não seria mais considerada sua filha.

Ele marcou uma condição para o seu amor. Desde então, tenho pesquisado por esse amor e aceitação da sua parte e de todos os homens que atravessam o meu caminho.

Mantive-me aquém das expectativas até ao passado ano e meio. Pela primeira vez na minha vida senti-me verdadeiramente apaixonada. Senti-me segura. Senti-me submersa no afecto deste homem. Apesar dos medos e dos problemas do passado que ambos estávamos a enfrentar, ele continuou presente, todo o dia.

As suas acções e o seu amor ditaram que estávamos nisto para um longa viagem mas as suas palavras começaram a me preencher com dúvida e incerteza – de tal forma que eu comecei a me retrair e senti que tinha de começar a proteger-me a mim mesma.

Faz Play Neste Vídeo


Após um verão preenchido de conversas que pareciam o final (apesar de ele dizer que não eram), encontrei-me em luta após um fim-de-semana emocional. Sem um pensamento consciente conduzi até à loja para comprar caixas, empacotei os seus pertences e escrevi-lhe uma carta de despedida.

Na verdade eu não estava preparada para dizer adeus mas não conseguia lidar com o facto de não ser escolhida todos os dias. Quis abaná-lo.

Ele iria escolher-me de uma vez por todas se ele experienciasse perder-me, certo?

Continuámos a conversar, chorar e conversar mais um pouco. Andámos às voltas. Nunca resolvendo o problema essencial. Enquanto ultimamente desejávamos a mesma coisa e a queríamos um com o outro, ele acreditava não conseguir me dar o que eu desejava no momento e que ele ainda tinha trabalho a fazer por sua conta.

Apesar da sua crença e da minha lógica, não conseguimos nos separar um do outro. Por meses continuámos a avançar e a recuar, a tentar perceber algo que não conseguíamos alterar.

Encontrei-me a argumentar com ele para fazer isto funcionar. “Nós conseguimos compreender isto juntos, não precisas de o fazer por tua conta” disse eu. Ele continuava a dizer que me amava e que queria estar comigo mas que ele não conseguia.

Sentei-me e questionei a mim mesma “O que estás a fazer? Já fizeste isto alguma vez? Porque estás a lutar com tanta força por isto quando ele claramente não o está a fazer?”

Apercebi-me que estava a repetir o padrão que estabeleci com o meu pai à uns anos atrás.

Mais uma vez estava a tentar convencer o homem que amo para me escolher de qualquer forma, indiferente das circunstâncias.

Com o meu pai foi:

“Ama-me de qualquer maneira. Sê o meu pai apesar das circunstâncias que não são ideais para ti. Não serei eu uma boa filha? Porque não consegues me amar e ser meu pai aconteça o que acontecer? Porque não podemos olhar além das circunstâncias e resolvê-las?”

Em cada caso ambos me amavam. Os seus amores eram até incondicionais mas as nossas relações não o eram. O meu pai tinha as suas condições para a nossa relação e o namorado tinha as dele.

Ambos não têm nada a ver comigo. Ambos têm mais a fazer com o que cada um acredita. E tal como eu tive que aceitar o facto de que não conseguia alterar a mente do meu pai à anos atrás, tenho que aceitar o facto de que não consigo mudar a mente do agora ex igualmente.

A crença que qualquer um deles tinham tornou-se uma condição ou um termo para a relação. Mas não devemos confundir os dois.

Embora o amor seja incondicional, as relações não o são. Enquanto nos focarmos nas condições de uma relação, nunca iremos experienciar verdadeiramente o amor incondicional.

Não podemos permitir a nós mesmos de nos convencer que as pessoas não nos amam incondicionalmente por causa das suas condições, comportamentos e acções. Uma pessoa pode amar incondicionalmente e ainda assim trair. Pode amar incondicionalmente e ainda assim abandonar. Uma pessoa pode ter um valor ou uma crença que é tão forte que a ponha à frente do amor, independente do quão profundamente te amam.

Então embora a nossa relação não tenha sobrevivido, escolhi focar-me no facto que eu tenho de vivenciar amor incondicional pela primeira vez na minha vida. Precisei acreditar que o verdadeiro amor existe.

Não irei fazer o doloroso erro de os confundir novamente.

Comentários

Somos a plataforma preferida da Geração-Y para os tópicos mais quentes e mais na moda dos dias de hoje, desde política a relacionamentos e tudo o que se encontra pelo meio.

CoffeeBreak © 2016 - Todo o conteúdo pertence aos seus utilizadores.

To Top

QUERES MAIS HISTÓRIAS COMO ESTA?

O botão mágico abaixo entrega-te as melhores histórias no Facebook.